Filme: Whiplash – Em busca da Perfeição

Faz tempo que estou para falar desse filme, mas como diz o ditado ‘antes tarde do que mais tarde’.

Eu  não sou muito fã de filmes com temática musical, mas Whiplash me surpreendeu.

Quem não sonhou (ou sonha) em ser o melhor dos melhores em alguma coisa na vida?

Esse é o sonho de Andrew: ser o melhor baterista dos Estados Unidos. E para atingir esse sonhos, ele busca superar todos os seus limites, praticando diariamente esse instrumento até fazer suas mãos sangrarem.
E quando ele pensa que terá a chance de sua vida, de aprender e crescer como músico ao entrar para a orquestra conduzida pelo temido instrutor Fletcher, ele percebe que para ser o melhor precisará abdicar de muita coisa e ser mais determinado do que poderia imaginar.

E pensar que existam muitos ‘professores’ como Fletcher que, na ânsia pela perfeição, acabam extrapolando todos os limites do bom senso.

Eu, particularmente, não acredito que precisamos chegar a tanto para conseguirmos algo ou sermos melhores. Acho que podemos atingir os objetivos de uma maneira mais saudável, digamos assim.

O filme é interessante e tenso ao mesmo tempo e já te adianto que vai rolar sofrimento, um pouco de sangue e dor. Ficou curioso para saber por que? Vai ter que assistir.

Vale a pena!

Sinopse: O solitário Andrew (Miles Teller) é um jovem baterista que sonha em ser o melhor de sua geração e marcar seu nome na música americana como fez Buddy Rich, seu maior ídolo na bateria. Após chamar a atenção do reverenciado e impiedoso mestre do jazz Terence Fletcher (JK Simmons), Andrew entra para a orquestra principal do conservatório de Shaffer, a melhor escola de música dos Estados Unidos. Entretanto, a convivência com o abusivo maestro fará Andrew transformar seu sonho em obsessão, fazendo de tudo para chegar a um novo nível como músico, mesmo que isso coloque em risco seus relacionamentos com sua namorada e sua saúde física e mental.